3 Dicas: Cromoterapia na Decoração dos Espaço pelo Feng Shui

Cromoterapia na Decoração dos Espaço pelo Feng Shui

Como já apresentei em outra coluna esta arte milenar, que é o Feng Shui, (clique aqui para ler a coluna) neste novo texto, vou falar sobre as cores e como usa-las para curar seu ambiente e a sua vida. Para falar sobre cores gosto muito de apresentar também o estudo das cores que é a Cromoterapia.  Do estudo das cores chegamos ao método de tratamento empregado contra várias afecções que utiliza luzes de cores e intensidades diversas,  com o uso da frequência luminosa, das cores, pode-se conseguir chegar ao equilíbrio da saúde seja ela física, mental e até mesmo espiritual. Acreditar no poder das cores não é ter fé em um método mas sim no conhecimento milenar da física. Este tipo de “cura” já foi reconhecido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como uma terapia alternativa capaz de ajudar as pessoas em alguns tratamentos. Como estamos falando sobre Decoração eu irei seguir mais pelo Feng Shui do que para o laudo terapêutico da cromoterapia que seria pelo equilibro dos chacras, técnica de harmonização energética do corpo, que teve origens na Índia, no Egito e na China.

Coisas simples poderão ser feitas no seu lar para melhorar o seu dia a dia e o equilíbrio energético da sua casa e vivencia entre aqueles que ali frequentam.

“Os efeitos poderosos das cores são conhecidos há milhares de anos. Seres humanos primitivos utilizavam as cores para se proteger do mal e aumentar a sorte e a virilidade. Os antigos chineses usavam as cores como símbolos e para representar as estações do ano. O verde simboliza a madeira, e representa a Primavera. O vermelho simboliza o fogo e representa o Verão. O amarelo e o laranja representam o sol a lançar os seus raios cálidos sobre a Terra, representando o fim do Verão. O branco simboliza o metal, e representa também o Outono. O azul simboliza a água e o Inverno.” As cores exercem sobre nós efeitos positivos ou negativos. Faber Birren, psicólogo especializado em cores, relata que as pessoas normais tendem a apontar qualidades favoráveis nas diferentes cores, mas os neuróticos são mais propensos anotar o que é desfavorável.
O Feng Shui é uma técnica desvinculada de qualquer religião ou crença e nos auxilia na busca de uma profunda sintonia com o universo, sendo uma técnica de extraordinário suporte nos processos individuais de autoconhecimento e auto superação. Para compreendermos a orientação das cores indicadas nos estudos de Feng Shui é importante aprender sobre os princípios e Leis que fundamentam a técnica. (Professora: Arquiteta Maria Teresa Saldanha)
O profissional ao projetar um ambiente conseguirá lhe ajudar a entender a utilização do espaço e o que você deseja receber do mesmo. Desde a concepção dos vãos das janelas e portas já se prepara o ambiente para se receber as cores ou até mesmo a ausência das cores, a predominância da luz irá fazer toda diferença nesta escolha.
As 3 dicas que irei dar será na aplicação das cores para ajudar na Prosperidade, que é trabalhada no Feng Shui nos setores da Prosperidade e do Sucesso, as cores indicadas são Roxo e/ou Violeta e Vermelho. Vamos a elas:

1 – Para obter prosperidade utilize-se da cor roxa ou violeta em tons claros nos ambientes e em objetos decorativos já nestes podendo usar tons mais fortes;
Ex: Flores violetas roxas, luminárias, porta retratos, etc

2 – Para abrir caminho para a prosperidade precisa-se estimular o sucesso e as vitórias profissionais, com isso deve-se usar o vermelho porem com muito cuidado, quase que em doses homeopáticas;
Ex.: Usar em pequenos objetos tais como pratos, panelas, almofadas, etc
3 – Aplicar estas cores conforme o baguá irá aumentar bem mais a sua atuação. A cor Violeta é empregada no setor da prosperidade que fica sempre no canto superior esquerdo de quem entra no comodo e a cor Vermelha fica no setor do sucesso que é sempre o canto superior central de quem entra no comodo.

Ex.: Veja na imagem do baguá

E finalizando segue o significados destas duas cores num contexto geral:

(VIOLETA) A cor violeta é a roxa. Conforme modesto farina (2006, p. 103) “a cor violeta é a resultante da mistura do vermelho com o azul”. A cor violeta sempre foi muito difícil de se produzir devido a mistura necessária para obtenção. Conforme Pedrosa (2009, p. 128) “Desde os tempos mais remotos, o violeta impressionou os homens. Não sendo fácil produzir essa coloração por nenhum dos meios que lhes estavam ao alcance, a ametista passou a simbolizar a própria cor”. A cor violeta não transmite sentimentos positivos em suas tonalidades mais escuras. Conforme Pedrosa (2009, p. 128) “Em tons escuros, o violeta está ligado à ideia de saudade, ciúme, angústia e melancolia, tornando-se deprimente. Em tons claros, é alegre e aproxima-se das propriedades do rosa.” Farina (2006, p 103) complementa afirmando que o “Violeta é o diminutivo provençal antigo viula (viola). Essa cor possui bom poder sonífero”.

(VERMELHA) Segundo Farina (2006, p. 99), o “vermelho nos vem do latim vermiculus [verme, inseto (a cochonilha)]”. Acredita-se que seja a cor que melhor representa a paixão e o amor. Para Pedrosa (2009, p. 118) “O vermelho é uma das sete cores do espectro solar, sendo por isso denominado cor fundamental ou primitiva”. Tiski-Franckowiak (2000, p. 197) comenta que “nesta cor em especial, o excesso preferencial fornece indícios de forte agressividade, educabilidade difícil e atos impulsivos de violência incontrolada”. A utilização da cor vermelha em excesso pode fazer com que a pessoa sinta-se impaciente e com palpitações. Segundo Farina (2006, p. 99) a cor vermelha ”Possui grande potencia calórica, aumenta a tensão muscular e a pressão sanguínea. […] É uma cor quente e bastante excitante para o olhar, impulsionando a atenção e a adesão aos elementos em destaque.” Existe uma pré- disposição para escolha da cor vermelha que, segundo Tiski-Franckowiak (2000, p. 196), “a predominância na escolha da cor vermelha corresponde ao tipo colérico extrovertido, ativo, e autônomo. A impulsividade leva a julgamentos rápidos e nem sempre acertados”.

A cor é o toque, o olho, o martelo que faz vibrar a alma, o instrumento de mil cordas.” (Kandinsky)

Sobre a Autora:

Grasiela Mancini é Arquiteta&Urbanista, formada pela USU – RJ (Universidade Santa Úrsula) no ano de 2001 e desde a sua formação realiza projetos, proprietária da empresa GRASIELA MANCINI Projetos. Contatos pelo e-mail: grasiela@grasielamancini.com.br  – Conheça um pouco da nossa empresa, visite nossa página no Facebook, CLIQUE AQUI ou o nosso site www.grasielamancini.com.br

Sites consultados:

http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2016/03/Artigo-Daniel-Pinheiro.pdf
63985925-FENG-SHUI-MANUAL-PRATICO-DA-CORES.PDF
https://pt.scribd.com/doc/40029245/APOSTILA-FENG-SHUI-BASICO-ESCOLA-BA-ZHAI-SET-2010

Livros consultados:
Cores na Decoração – Anna Starmer
A Psicologia das Cores. Como as Cores Afetam a Emoção e a Razão – Eva Heller

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *