Petrobras garante investimentos em pré-sal para Macaé

Fonte: Prefeitura de Macaé
Jornalista: Julie Silveira
Foto: ANP Divulgação

Com R$ 6,15 bilhões arrecadados e com 75% das áreas arrematadas, a segunda e terceira rodadas do leilão de oito áreas de exploração de petróleo, realizado nesta sexta-feira (27) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Bicombustíveis (ANP), no Rio, registrou ofertas elevadas, principalmente pela Petrobras. A estatal arrematou 50% do bloco Alto de Cabo Frio Central, na Bacia de Campos. Os outros 50% serão administrados pela empresa BP Energia. O bloco também recebeu ofertas da Shell Brasil, QPI Brasil e CNOOC Petroleum. Os dois leilões foram feitos sob o regime de partilha: venceu quem ofereceu o maior lucro para a União em petróleo, o chamado óleo-lucro.

De acordo com o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Décio Oddone, o bloco Sudoeste da Tartaruga Verde, na Bacia de Campos, que não recebeu ofertas, vai permanecer no domínio da União, que ainda decidirá se vai ofertar novamente ou não.

“Mesmo com a falta de ofertas para o bloco Tartaruga, na Bacia de Campos e, também, para o bloco Pau Brasil, na Bacia de Santos, teremos um nível de arrecadação muito maior do que o esperado. As alíquotas nos surpreenderam e isso significa mais investimento em saúde e educação no Brasil, que voltará a ser uma das capitais mundiais do petróleo”, destacou Oddone.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, destacou que o sucesso do leilão faz com que o Brasil volte para a rota de óleo e gás. “Empresas que não estavam no Brasil voltaram e fizeram suas apostas. Isso significa a confiança que eles têm no Brasil. Além disso, o índice de óleo lucro veio muito acima do esperado, cerca de 80%, o que compensou o fato de duas áreas não terem sido arrematas”, pontuou Fernando.

A disputa começou com mais de duas horas de atraso por causa de uma liminar de um juiz da 3ª Vara Federal Cível da Justiça Federal do Amazonas que suspendia a realização do evento. A liminar, no entanto, foi derrubada por decisão do presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), desembargador Hilton Queiroz, após recurso da Advocacia-Geral da União (AGU), em nome da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A retomada do setor

Mais energia, mais investimento, mais recurso e mais empregos para a região. Essa é a expectativa após o arremate do setor Alto de Cabo Frio Central, nesta sexta-feira e, também com os resultados da 14ª Rodada de Licitações de Petróleo e Gás, realizada há um mês, no qual a Bacia de Campos foi o destaque com todos os blocos arrematados, com negociações no valor de R$ 3,6 bilhões dos R$ 3,8 bilhões da rodada.

Segundo a ANP, a 14ª Rodada de Licitações teve a maior arrecadação da história e marcou a retomada do setor de petróleo e gás no Brasil, com o maior bônus de assinatura total e as duas maiores ofertas por bloco: cerca de R$ 2,24 bilhões e R$ 1,2 bilhões.

Décio Oddone ressaltou, na ocasião, que o leilão mostrou o potencial da região da Bacia de Campos e o crescimento das expectativas. Segundo Oddone, o leilão mostra uma garantia de sucesso além dos bônus, que são a certeza de investimentos no futuro e aposta das empresas menores.

As ações destravam investimentos no setor e ajudam a implantar um novo ciclo de desenvolvimento e geração de emprego. Macaé tem todo o potencial para receber novos investimentos, incluindo a infraestrutura de serviços e a logística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *